Enem 2018 - O Guia Definitivo para a Prova do Enem 2018
Segredos do ENEM 2018
Shares

Enem 2018 – O Guia Definitivo para a Prova do Enem 2018

Shares

Artigo atualizado dia 28/03/2018.

O Que é o Enem e Como me Preparar para O Enem 2018?

A sigla ENEM significa “Exame Nacional do Ensino Médio” e é uma avaliação realizada pelo Ministério da Educação para verificar o domínio de competências e habilidades dos estudantes que concluíram o ensino médio. As provas do Enem 2018 serão aplicadas nos dias 4 e 11 de novembro desse ano. Ele é usado como parte do processo seletivo de mais de mil Instituições de Ensino Superior (IES) públicas e privadas. O processo de avaliação do Enem é composto por quatro provas de múltipla escolha, com 45 questões cada, e uma redação. A avaliação do Enem é critério fundamental na seleção para as bolsas do ProUni (Programa Universidade para Todos) e já substituiu a maior parte dos vestibulares individuais universitários.

História do Enem

A prova do Enem foi criada em 1998 e tem o objetivo de avaliar o desempenho dos estudantes que tenham concluído o Ensino Médio. Podem participar do exame alunos que estão concluindo ou que já concluíram o ensino médio em anos anteriores.

Em sua primeira década funcionava apenas como ferramenta avaliativa para medir a qualidade dos alunos formados no ensino médio e servia como base para entender a qualidade das instituições escolares, assim como o desenvolvimento dos estudantes. À partir de 2009, o Enem obteve também outra função: tornou-se uma avaliação que seleciona estudantes de todo o país para instituições federais de ensino superior, substituiu a maioria dos vestibulares e também serve de parâmetro para programas do governo federal, como o Sisu, Prouni e Fies. Esses programas facilitam a vida de quem sempre sonhou em estudar em universidade pública ou precisa daquela força do governo para pagar a mensalidade da universidade particular, ou seja, se você se enquadra em qualquer uma dessas situações, deve fazer o Enem 2018.

Como Funciona o Enem e Como é Calculada a Nota do Enem

Diferentemente das provas de vestibular tradicionais, que contabilizam apenas o número de erros e acertos, atribuindo um valor fixo às questões, o Enem usa uma metodologia especial, a chamada Teoria de Resposta ao Item (TRI). Entenda como ela funciona e como você pode usar o seu resultado para ter acesso a uma vaga no ensino superior ou em outros programas educacionais do governo:

 

A metodologia utilizada na correção do Enem é a Teoria de Resposta ao Item (TRI). Neste modelo estatístico, o valor de cada uma das questões varia de acordo com o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item. Assim, os itens que os estudantes acertarem mais serão considerados fáceis e, por essa razão, irão valer menos pontos na composição da nota final. Já os itens com menor número de acertos por parte dos estudantes serão considerados difíceis e, por essa lógica, valerão mais pontos. É por isso que é muito comum dois participantes acertarem o mesmo número de itens, mas terem médias finais diferentes no Enem. Esse sistema avaliativo busca selecionar e ter uma distinção mais real sobre as habilidades de cada aluno.

Avaliação não Linear

Como os limites de escala variam conforme o nível de dificuldade das questões e o comportamento dos estudantes em cada pergunta, a pontuação sofre alterações a cada edição do exame. Dessa forma, para saber se foi bem na prova, o estudante deverá comparar seu desempenho com as notas mínimas e máximas obtidas pelos participantes da prova do seu ano.

Para montar a prova, o MEC seleciona o conjunto das 45 questões de cada área. Elas têm de medir o domínio das competências, habilidades e conteúdos previstos na matriz de referência do Enem e são compostas equilibrando o grau de dificuldade das questões – fáceis, médias e difíceis. A régua, o pré-teste e o cálculo final da nota são feitos por um método chamado TRI (Teoria da Resposta ao Item).

Pré-teste: Para que cada questão seja colocada na régua, ela passa por um pré-teste antes do Enem, organizado pelo MEC. Participam escolas em todo o Brasil. Cada aluno participante do pré-teste recebe um caderno com 48 questões. Assim, são testados milhares de questões que vão integrar o banco de dados do MEC. Do conjunto de questões do banco, saem as 180 que vão compor o Enem.

Como se Atribui a Posição da Questão e o seu Nível de Dificuldade?

Cada questão é submetida ao pré-teste de milhares de alunos. A tabulação de seus resultados quantifica três pontos essenciais de cada questão para garantir um exame de boa qualidade:

a) Parâmetro de discriminação

É a capacidade da questão de diferenciar os alunos em relação à dificuldade da questão. Alguns erram e outros acertam. Se o acerto e o erro são aleatórios, ou todos acertam, a questão não consegue dar informações sobre os alunos e tem de ser refeita.

b) Parâmetro de dificuldade

É o parâmetro que determina a posição da questão na régua. Para que seja possível distinguir um aluno de pouco conhecimento de outro mais bem preparado, o Enem precisa ter perguntas com níveis de dificuldade diferentes.

c) Parâmetro de casualidade

Mede qual é a probabilidade de a questão ser acertada por acaso. Esse parâmetro parte da ideia de que, quanto maior é a proficiência (conhecimento) do aluno, maior a probabilidade de acerto sem chute. Mas, se seu conhecimento é pequeno e a questão é difícil, o parâmetro indica alta probabilidade se o acerto ter sido por acaso.

Conferência e Cálculo das Notas

Na nota final, calculada por computador, o Enem considera a consistência das respostas. Dois alunos com cinco questões certas em Matemática, por exemplo, podem ter notas diferentes. O que acertou as cinco mais fáceis terá uma nota maior, pois seu desempenho é coerente. O outro, que errou questões fáceis e acertou outras difíceis, terá a sua nota reduzida pelo cálculo da casualidade, ou seja, como sua proficiência foi pequena (cinco questões em 45) , a TRI entenderá o acerto nas questões difíceis como “chute” e reduzirá o valor do item certo.

A prova do Enem fornece cinco notas, uma para cada área de conhecimento – Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Linguagens e Códigos e Matemática – e mais uma para a redação. Para o cálculo das notas das quatro áreas é usada a metodologia TRI. A nota de redação segue o sistema tradicional: a nota varia de 0 a 1000.

 

Fies, Sisu, Prouni…

A prova do Enem serve como método avaliativo para o ingresso em diversas instituições de ensino superior assim como processo na seleção de financiamentos universitários e bolsas de estudo, integrais ou parciais.

Sisu

A nota do Enem poderá ser usada para participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior em todo o país. As inscrições da primeira edição deste ano poderão ser feitas de 11 a 14 de janeiro. Serão ofertadas 228 mil vagas e, para participar, o candidato não pode ter tirado 0 na redação. Cada universidade pode também estabelecer notas mínimas para cada uma das provas e para a redação.

ProUni

A nota poderá ser usada também para obter bolsas de estudo integrais ou parciais em instituições particulares de ensino superior pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Para participar dos programas, o estudante não pode ter zerado a redação e precisa obter pelo menos uma média de 450 pontos nas demais provas do Enem.

Fies

Os estudantes que já concluíram o ensino médio e queiram solicitar o Fies também podem tentar com ajuda do desempenho no Enem. Eles deverão ter realizado o exame de 2010 ou ano posterior, e precisam ter obtido média aritmética das notas nas provas inferior a 450 pontos e/ou nota na redação igual a 0.

Algumas universidades utilizam o resultado do Enem em substituição ao vestibular ou como uma nota complementar ao seu próprio processo seletivo.

Como se Inscrever no Enem 2018

A divulgação de datas de inscrição, realização da provas, período para a solicitação de isenção, assim como demais datas é acessada no site do Enem. A prova é paga e o valor da inscrição pode ser pago em Agências Bancárias, Lotéricas ou Correios.

Isenção da Taxa de Inscrição

Terão direito a isenção da taxa de inscrição:

  • Alunos formandos no ensino médio que estudam em escolas públicas têm a isenção da taxa garantida de forma automática
  • Família com renda por pessoa igual ou menor que 1 salário mínimo e meio + Todo o ensino médio cursado em escola pública
  • Família com renda por pessoa igual ou menor que 1 salário mínimo e meio + Todo o ensino médio cursado com bolsa integral em escola privada
  • Família recebe até 3 salários mínimos + Família Inscrita no CadÚnico
  • Família com renda por pessoa de até meio salário mínimo + Família inscrita no CadÚnico

O pedido de isenção deve ser solicitado no Sistema de Inscrição por meio de Declaração de Carência Socioeconômica. Se o pedido de isenção não for aceito o participante deve pagar a taxa de inscrição normalmente. Você deverá acompanhar a situação da sua solicitação na página do estudante.

Neste ano, os pedidos de isenção da taxa para realização do Enem 2018 foram feitos antes da abertura das inscrições, entre os dias 2 e 11 de abril.  A resposta do Inep para a confirmação ou não da isenção será divulgada no dia 23 de abril. Entre os dias 23 a 29 de abril ocorrerá um intervalo para apresentação de novos documentos, caso o pedido de isenção seja negado.

Mesmo que a isenção da taxa seja autorizada, os candidatos ainda devem fazer a inscrição para a prova, entre os dias 7 e 18 de maio no site do Inep.

Informações Individuais da Prova

Após a confirmação da inscrição, cada inscrito deverá aguardar a liberação do cartão de confirmação, que normalmente é liberado em outubro. No cartão você terá acesso as seguintes informações:

  • Número de inscrição
  • Data, hora e local das provas
  • Atendimento especializado e/ou específico (se solicitado)
  • Opção de Língua Estrangeira

Você também terá acesso ao cartão pela página do estudante no site do Inep.

Data de Inscrição e Prova do Enem 2018

As inscrições para a prova do Enem 2018 serão realizadas entre os dias 7 a 18 de maio.

As provas do Enem 2018 serão aplicadas nos dois primeiros domingos consecutivos de novembro desse ano:

  • Dias 4 e 11 de novembro.

Edital do Enem 2018

O edital da prova do Enem 2018 já foi liberado pelo MEC (Ministério da Educação) no Diário da União e pode ser acessado aqui.

Quais as Matérias Cobradas no Enem

A prova do Enem é constituída de 4 provas objetivas de múltipla escolha, com 45 questões em cada uma, em um total de 180 questões. Os temas são divididos em:

  • Ciências Humanas e suas Tecnologias: questões que abordam geografia, história, filosofia e sociologia
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias: questões que abordam biologia, química e física
  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: questões que abordam língua portuguesa, literatura e língua estrangeira (inglês ou espanhol)
  • Matemática e suas Tecnologias: questões que abordam matemática e lógica

Todas as disciplinas cobradas na prova fazem parte do currículo acadêmico das instituições de ensino médio regulamentadas pelo MEC.

Como é Aplicada a Prova do Enem

As provas do Enem são aplicadas em dois dias, normalmente dois domingos consecutivos. As provas do Enem 2018 serão realizadas nos dias 4 e 11 de novembro.

As provas do dia 4 serão constituídas pelas provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias / Redação / Ciências Humanas e suas Tecnologias.

As provas do dia 11 serão constituídas pelas provas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias / Matemática e suas Tecnologias.

Duração das Provas do Enem 2018

Anteriormente as provas tinham duração de 4 horas e 30 minutos cada dia. O MEC fez uma alteração no horário das provas do Enem 2018. A prova do primeiro dia, 4 de novembro, continuará com duração de 4 horas e 30 minutos, mas, a prova do dia 11 de novembro, que envolve questões de exatas, terão duração de 5 horas, ou seja, acréscimo de 30 minutos ao tempo regular.

O aluno pode solicitar utilizar o banheiro, assim como beber água, nesses casos será acompanhado por um instrutor da prova para que não ocorra situações de interferência de terceiros ou acesso a materiais indevidos. Os alunos deverão guardar celulares e outros acessórios em um porta-objetos que possui lacre e não poderão acessá-los durante a prova sob a pena de eliminação imediata. Os objetos ficarão embaixo da carteira de cada estudante e só poderão ser acessados após a finalização da prova e o estudante já ter deixado o local.

Os participantes poderão levar lanches e bebidas e utilizá-los durante a prova, desde que nenhum dos alimentos causem algum tipo de transtorno ou dificuldade no decorrer da prova durante o consumo. Lanches e bebidas energéticas e de fácil consumo são bastante aconselhadas. Alguns exemplos são frutas já preparadas para fácil consumo, barras de cereais, chocolates com alto índice de cacau, sanduíches naturais que não possuam forte cheiro, sucos e água.

Dica Segredos do Enem

Entre aqui e acesse o canal no Youtube do idealizador do Segredos do Enem , Lucas Marques, veja dicas e alguns métodos de estudo bastante eficientes na preparação para a prova do Enem 2018 de forma gratuita. Caso queira saber mais sobre o curso Segredos do Enem entre aqui.

Como Estudar Para a Prova do Enem 2018

Todos sabemos que o ideal para a realização de uma preparação adequada para a prova do Enem 2018 é a construção de um cronograma iniciado no começo do ano letivo e desenvolvido até o dia da prova, com a abordagem de todo conteúdo. Porém, diversas pessoas não têm essa disciplina ou abordagem na preparação, não constroem um plano de estudos eficiente e na maioria das vezes ficam bitoladas quando começam a levar os estudos a sério. Talvez por terem a percepção de que a prova é distante e haverá tempo de sobra para estudar – o Enem 2018 acontece nos dias 4 e 11 de novembro – ou simplesmente por preferir estudar mais perto da prova, não importa, se você não construir uma programação de estudos eficaz, terá problemas quando tentar estudar de verdade.

Mas então, como construir um plano de estudos produtivo e segui-lo com disciplina e foco?

Clareza, clareza e clareza!

Para iniciar a construção de um planejamento eficiente a primeira coisa que devemos ter é quais são os nossos fracos e fortes acadêmicos. Todo indivíduo possui facilidades e dificuldades específicas, não saber exatamente quais as suas levará a construção de uma rotina de estudos rotineira e acima de tudo pouco eficaz, uma vez que as suas individualidades não serão abordadas nessa construção e você perderá a chance de otimizar o seu aprendizado, talvez em até menos horas de estudos.

Assim como é importante ter clareza sobre as suas capacidades acadêmicas, ter também de forma clara quais são os seus horários e disponibilidades de estudo é essencial na construção do planejamento. Não importa quem você é ou aonde se encontra, todos nós temos exatamente 24 horas a cada dia. Dentre elas, dormimos, comemos, nos deslocamos de lugares, interagimos, podemos ter alguma rotina diária como trabalho, faculdade, escola, etc. Quando pensamos na criação de um plano de estudos pessoal e personalizado, teremos que encaixar essas horas de estudo dentro da nossa rotina e ter a clareza de quanto tempo por dia para essa atividade é vital para isso.

Recomendação Segredos do Enem 2018

  • Leia nosso artigo sobre a importância da Coragem na preparação para a prova do Enem 2018 e tenha informações mais completas a respeito da relevância da clareza.

Planejamento

Após ter de forma clara quais são suas facilidades e dificuldades acadêmicas, disponibilidade de horários, é hora de construir um plano de estudos individual. O que isso quer dizer? Nessa abordagem pessoal, você não irá somente distribuir as horas de estudos igualmente por cada disciplina acadêmica, mas sim organizar sua grade pessoal com tempos de estudos personalizados e baseados em suas aptidões acadêmicas, ou seja, você irá pegar o tempo total de estudos disponível e dividir esse tempo de acordo com os seus níveis de aprendizado em cada matéria e não de forma igualitária como é feito normalmente.

Com as proporções de horários já construída devemos alocar as horas de estudo dentro da nossa rotina diária. Para isso devemos analisar quais horários temos mais energia, os tempos de duração de cada lacuna de estudo disponível em nossa rotina, as atividades realizadas antes e após as sessões de estudo. Isso é importante para que possamos otimizar a qualidade de aprendizado de cada sessão, uma vez que, estudar a matéria que você tem mais dificuldade e menos interesse seria extremamente difícil e pouco produtivo após chegar em casa ao final de um dia cansativo, porém, pode não ser tão massante se feito 45 minutos após acordarmos, tomarmos um café da manhã nutritivo e delicioso e ter feito 15 minutos de meditação e alongamento. Percebeu como essa alocação de horários é extremamente importante?

Recomendação Segredos do Enem 2018

  • Leia nosso artigo completo sobre a importância do Planejamento na preparação para a prova do Enem 2018 e tenha mais ferramentas para construir um plano de estudos matador.

Consistência

De nada adianta termos criado um plano de estudos extremamente produtivo se ele não for realizado em bases diárias. Vamos pensar em uma escala de produtividade do dia em relação a qualidade do tempo estudado. É muito mais interessante se ter “bons dias” de estudo diariamente em nossa rotina do que ter o “melhor dia” de estudo possível apenas uma vez por semana e nos outros ter “dias ruins”. Por mais que no “melhor dia” você possa absorver tudo o que se propôs a estudar naquele dia, como já dito anteriormente, o tempo é limitado e você poderá abordar apenas uma pequena parte de um total. Se os outros dias da semana forem “ruins”, seja porque você não estudou ou fugiu do planejamento, o seu nível de aprendizado total será baixo, mesmo que esporadicamente você tenha o “melhor dia”.

O intervalo de tempo entre a prova do Enem e o início da preparação é relativamente longo, para quem começou a se preparar no começo do ano e um dos fatores mais importantes, se não o mais importante, na preparação é ter consistência de estudos. Lembre-se, o melhor planejamento não vale nada se não sai do papel, assim como de nada vale a melhor das intenções se ela não se torna em ação.

Recomendação Segredos do Enem 2018

  • Leia nosso artigo completo sobre a importância da Consistência na preparação para a prova do Enem 2018 e veja práticas diárias que irão lhe ajudar a construir uma rotina com hábitos construtivos e inteligentes.

Foco

Não confunda foco com consistência. Você pode estar todos dias se dedicando as horas de estudos planejadas, porém, sem foco ou comprometimento algum em tornar essas horas em aprendizado. De nada adianta você ficar 2 horas sentado(a) “lendo” um livro enquanto sua cabeça está preocupada com um desentendimento que você teve com seu chefe ou namorada(o), com o que vai acontecer no próximo episódio de Game of Thrones, sobre a escalação do seu time para a próxima partida.

Da mesma forma, será pouco produtivo empregar horas de estudo após chegar em casa exausto(a) após um cansativo dia de trabalho. Talvez seja melhor trocar as 2 horas por 45 minutos de estudo em uma situação como essa, onde você estará presente de verdade ao conteúdo nesse menor tempo estudado. O que devemos ter em mente é sempre a produtividade e não apenas o tempo em si.

Recomendação Segredos do Enem 2018

  • Leia nosso artigo completo sobre a importância do Foco na preparação para a prova do Enem 2018 e aprenda técnicas de produtividade que irão deixar seu foco 100% nos estudos e também otimizar o seu aprendizado.

Confiança

Pode soar estranho abordar a confiança por último nesses 5 quesitos, porém, um dos maiores problemas relatados por alunos na preparação para a prova do Enem 2018 é a falta de confiança e insegurança. Seria até intuitivo imaginar que uma pessoa que seguiu todos os quesitos relatados acima construísse automaticamente confiança ao longo da preparação e transbordasse segurança e otimismo na hora da prova, porém, é muito frequente os relatos e pedidos de auxílio de estudantes que mesmo com uma preparação extremamente adequada e produtiva para o Enem, não conseguem vencer a insegurança e o medo da não aprovação. No esporte se usa muitas vezes o termo “o medo de perder superou o impeto pela vitória” e é exatamente essa situação que vários estudantes vivem durante a prova e se não abordada de forma direta e verdadeira, pode levar todo o sacrifício de uma preparação de qualidade ralo abaixo.

Mas como construir confiança então? Existem pessoas que possuem altos níveis de confiança naturalmente, são positivas por instinto, mesmo em situações onde não estejam preparadas sempre veem o copo, mesmo que quase vazio, quase transbordando e não tem a mente focada no resultado negativo. Já outras, mesmo que o copo esteja faltando apenas um dedo para se encher focam apenas nessa pequena diferença e esquecem de todo o conteúdo possuído. 

Não Ignore a Importância desse Fator

Talvez experiências pessoais façam com que ao longo de nossas vidas nos tornemos pessoas mais ou menos confiantes, talvez tenha a ver com algo interior de cada um, mas o importante nisso é ter consciência de qual é a nossa situação e trabalhar em cima disso, uma vez que negativismo e insegurança não trazem resultados positivos de forma alguma. Se você é uma dessas pessoas otimistas e confiantes naturalmente que bom, implemente os tópicos anteriores em sua preparação e você terá com certeza um excelente resultado na prova do Enem 2018, sem erro. Mas se você é uma pessoa que tem problemas com a insegurança e o medo do insucesso, preste bastante atenção nos próximos parágrafos.

Primeiramente, entenda que o medo não é abstrato. Veja a seguinte situação: Duas pessoas são as próximas em um fila para pular de bungee jump. A primeira olha toda a vista proporcionada pela altura onde estão, desfruta do vento puro batendo em seu corpo, já imagina a adrenalina e sensação que irá vivenciar em poucos minutos. Já a segunda imagina apenas a corda arrebentando e ela se espatifando no chão, não consegue desfrutar um segundo sequer de toda situação em que se encontra, talvez, até desista de pular quando a hora chegar. Perceberam como o medo não é algo realmente real, mas sim como abordamos determinadas situações? Essa é uma situação comum a você?

Registre seu Desempenho

Se a sua resposta acima foi sim, quer dizer que você tem que começar a partir de agora a construir uma mente confiante pois com certeza isso tem atrapalhado lhe atrapalhado não apenas na preparação para a prova do Enem 2018, mas como em todas áreas de sua vida e aqui vão algumas dicas: Com a clareza de que o medo não é algo real mas sim uma reação pessoal de cada pessoa, comece a registrar e celebrar os seus resultados positivos a partir de agora.

Todas notas excelentes, toda vez que tiver sucesso em uma partida no seu esporte favorito, toda vez que conseguir ganhar um sorriso da pessoa que você gosta, registre, celebre, deixe os registros em um lugar de fácil acesso e reveja com frequência esses resultados para deixar claro em sua mente o quão foda você é. Converse com as pessoas mais próximas de você e que possuem essa confiança natural sobre sua preparação, o quanto você tem dedicado, como os resultados conquistados na preparação tem sido positivos, o quanto você deseja ser aprovado(o) e tem confiança que isso irá ocorrer.

Celebre suas Conquistas

Construa pequenas metas pessoais ao longo da preparação e a cada meta superada, celebre e deixe registrado biologicamente em seu corpo a excelente sensação da vitória! Cada vez que não conseguir alcançar o resultado desejado deixe de entender a situação como derrota e comece a abordar esse insucesso eventual como um desafio mais difícil que eventualmente também será superado e irá lhe transformar em uma pessoa mais forte e capacitada.

Tenha em mente que esse é um processo de construção e não algo espontâneo que só porque você acabou de ler essas informações uma mágica ocorrerá e você começará a ser o(a) Dr(a) Confiança. Lembre-se que todos nós temos resultados de insucesso em nossas vidas mas seremos realmente perdedores se nos conformarmos com essa situação e permanecermos nela.

Recomendação Segredos do Enem 2018

  • Leia nosso artigo completo sobre a importância da Confiança na preparação para a prova do Enem 2018 e veja como desenvolver práticas que irão destruir o medo dentro de você.

DICA IMPORTANTE!

O sono e a alimentação são fatores muitas vezes desprezados pela maioria dos estudantes, porém são vitais para uma preparação de sucesso. Você apenas conseguirá ter uma boa absorção do conteúdo se esses dois fatores estiverem corretamente alinhados. Tenha em mente, o tempo de estudo só terá valor a partir do momento que você conseguir ter altos índices de aprendizado e produtividade, ficar horas com sono e sem se alimentar não trarão nenhum benefício para você, então como bem e durma bem!